FEBRACE é finalista em prêmio por incentivo à educação e à cultura científica

Conforme veiculou o portal Terra, a Febrace (Feira Brasileira de Ciência e Engenharia) foi finalista da 16ª edição do Prêmio Péter Murányi – Educação, conforme anunciado em fevereiro deste ano, data em que também foi decidido o projeto vencedor. A iniciativa tem como objetivo estimular novas vocações em ciências e engenharia, induzindo práticas pedagógicas inovadoras nas escolas e proporcionando oportunidades e orientações para que os estudantes desenvolvam projetos investigativos. É realizado por professores da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (Poli-USP).

O programa foi concebido com o propósito de servir de referência para outros projetos e ações voltados ao estímulo à cultura científica e ao empreendedorismo na educação básica e técnica, principalmente nas áreas de Ciência, Tecnologia e Informação (C&T&I). A Febrace promove aproximação entre escolas (públicas e privadas), universidades e centros de pesquisa, estimulando a interação entre estudantes e professores, além de cientistas e profissionais da área. A equipe da feira desenvolve ações ao longo de todo ano, com maior intensidade em março, mostra anual dos finalistas e durante a participação dos destes na Intel Internacional Science and Engineering Fair – que reúne mais de 70 países.

Para Vera Murányi Kiss, presidente da Fundação Péter Murányi, esse projeto é de grande importância para disseminar a cultura científica entre crianças e jovens do País. “É um reconhecimento merecido. Ficamos contentes que um dos finalistas tenha esse objetivo de incentivar projetos na área de Pesquisa e Desenvolvimento. Afinal, é um setor que acompanhamos e no qual vemos a necessidade de uma continuada expansão”.

Em 2017, a Febrace completa 15 anos, consolidando-se como a maior feira de ciências e engenharia do Brasil. Todas as edições da mostra anual foram sediadas no campus da Universidade de São Paulo (USP), na Capital, assegurando a participação ativa de maior número de avaliadores e visitantes qualificados.

“Nós ficamos extremamente honrados quando soubemos que estávamos entre os finalistas! Isso é um reconhecimento, significa que esse tipo de projeto é importante para a educação brasileira e esse prêmio vai nos dar mais força para seguirmos buscando parcerias e levando a iniciativa para outras regiões do país porque o caminho ainda é muito longo para percorrer, afirma a professora Roseli Lopes, coordenadora-geral da Febrace.